sexta-feira, 26 de julho de 2013

Meus amores, meus avós!

Cheiro de infância.
Sabor de chocolate.
Suavidade de algodão doce.
Mãe e pai ao dobro.

Duas doses de amor.
O que há entre o sim e o não que nunca aprendemos a diferenciar.
Um beijo que diz 'te zelo'.
Um abraço que promete carinho eterno.
Eles são o meu porto seguro.

A minha lembrança mais 
O quadro que eu pintava nas férias.
Eles são a espera do final de semana.
A estrada que não se conclui.
A comida mais gostosa do mundo e que engorda apenas a alma.
Eles são a minha alegria.

A minha ousadia.
O lugar onde eu perco o medo.
São o sinônimo das minhas verdades.

Os meus traços mais sinceros.
A minha semelhança com o futuro.
Eles são o berço do meu passado.

Meus avós. Minha reciprocidade eterna. Minha mania manhosa. Meus anjos, meus amores, meus para sempre meus.

Felizes aqueles que têm quem chamar de vó, vovô, nona, bisa... felizes os que sabem exatamente o que eu sinto neste dia. No dia em que tudo se resume a gratidão. No dia em que toda e qualquer menção de parabéns significa muito pouco, perto do que eles realmente merecem.

Eu amo cada um com todas as minhas forças e agradeço por estarem ainda em vida comigo.
Aos 21 anos, ter os 4 avós e uma bisa é mais que uma benção. É ter a certeza de que onde quer que eu esteja, eu levo comigo, o amor e a fé dos melhores pais do mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário